10/10/2017
Hey, você! Idade não define guarda-roupa

Chegando perto dos 30, me peguei fazendo mentalmente aquela pergunta “será que terei que me vestir de outra forma?”. É inevitável nos depararmos com esses questionamentos à medida que nossa idade avança, mas será que deveríamos realmente pautar nosso closet de acordo com quantos anos temos? Creio que muita gente passe a se sentir desconfortável a partir de um período da vida a usar certos tipo de roupas, consideradas mais jovens. É comum não se sentir bem. Mas por que não se permitir roupas joviais quando seu espírito de fato não acompanhou seus anos de estrada? Afinal, se você se sente igualmente jovem, isso não deveria ser um empecilho para suas escolhas.

Senhoras estilosas

via @ messynessychic.com

É claro que o tempo nos traz o amadurecimento e, com ele, muitas vezes passamos a nos enxergar de outra maneira. Mudamos. Como tudo à nossa volta. O ciclo natural da vida. Porém, isso acontece para as pessoas em tempos diferentes, uma vez que não há uma única pessoal igual no mundo, por isso, acredito que seria muito mais prudente da nossa parte se parássemos de olhar ao próximo e pensar que ele se veste de maneira inadequada para a sua idade. Certas coisas estão tão enraizadas na nossa sociedade que, muitas vezes, é difícil perceber que o outro é diferente de mim e de você e do fulano do lado. Somente ele é capaz de dizer se suas roupas são inadequadas ou não. Já vi tanta gente mais velha que eu, porém, tão mais jovem por dentro.

Linda Rodin

via @ latimes.com

Vestir-se é a forma de linguagem mais sutil que podemos usar. Ela faz parte do nosso estado de espírito, refletindo como nos sentimos em relação a nós mesmos. Nada mais natural que eu me continue me vestindo hoje, aos 28, como eu me vestia aos 20, já que na minha percepção ainda sou aquela mesma pessoa, apesar de algumas vivências a mais. Não me sinto com 28, e na contramão disso, não me tomam por 28 (cheers aqui). Busco uma certa seriedade em ambiente profissional, mas em meu dia-a-dia, sou essa menina que vos fala. Contudo, não vou mentir, tenho esse medo bobo de ser julgada e luto cada dia para tentar me desvencilhar das apreensões de envelhecer. Um medo bobo, que se pinta de monstro, que desejo colocar na gaveta do esquecimento, mas que insiste em aparecer a cada ano completo.

Senhoras estilosas 2

Reprodução

O importante é perceber que a única é regra que deve seguir ao se vestir é se sentir bem, é se sentir você. É se olhar no espelho e se amar acima de tudo, e ter a certeza de que está arrasando, não importa a peça. Não deixe que te digam que é tarde demais pro seu estilo, e, por favor, não imponha isso a ninguém. Vamos quebrar o protocolo, esse sim inadequado, que diz que minissaia não pode depois dos 30, que a última tendência lançada não se encaixa contigo, que colorir o cabelo é molecagem e que existe idade pra tatuagem. Hey, você! Idade não define guarda-roupa.





Deixe seu comentário


2 comentários em “Hey, você! Idade não define guarda-roupa”

  1. Nossa que post necessário!!! Eu também comecei a sentir uma mudança quando fiz 28, mas pelo menos por aqui a mudança veio com outras ideias que incluem estilo de vida, então a mudança de visual foi consequência mesmo! Espero continuar nessa mudança que faz parte da minha vida como um todo e não só do visual!

    • Hellê disse:

      Siiim, até porque visual é o que menos precisa mudar, neah!? O que importa é estarmos bem por dentro, e o resto é reflexo disso =D

Deixe uma resposta